LIRAa de 2019 começa a mapear riscos para a dengue pelo Centro de Macapá

LIRAa de 2019 começa a mapear riscos para a dengue pelo Centro de Macapá
Primeira coleta acontece até o dia 25 de janeiro. Devem ser feitas mais de 6,9 mil amostras. LIRAa de 2019 começa a mapear riscos para a dengue pelo Centro de Macapá

Carlos Alberto Jr/G1

Iniciou, na manhã desta terça-feira (15), o primeiro Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do ano em Macapá. As inspeções começaram pelo Centro e também já foram realizadas na Zona Leste da cidade. A coleta acontece até o dia 25 de janeiro e deve passar pelos 68 bairros da capital.

O levantamento é considerado fundamental na orientação das ações de controle das endemias causadas pelo Aedes e das medidas que serão adotadas pela prefeitura. Com a conclusão do ciclo, acontecerá o mapeamento de bairros com maior índice. Os dados também terão como consequência novas campanhas de combate e controle do mosquito.

Kilder Vidal, coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti

Carlos Alberto Jr/G1

Segundo o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti, Kilder Vidal, mais de 6,9 mil amostragens devem ser levantadas durante o trabalho. Ele destaca que, em 2018, Macapá foi uma das capitais do país que tiveram o índice de baixo risco.

“Estamos há, pelo menos, três anos reduzindo esses índices, lembrando que ainda encontramos muitos problemas com o lixo doméstico e com água parada. Apesar de tudo, estamos vendo um resultado positivo e que parte da população têm colaborado diretamente para que hoje Macapá tenha um índice de baixo risco”, ressaltou.

Falta de saneamento básico ainda faz parte da realidade de muitos macapaenses

Carlos Alberto Jr/G1

A partir do resultado do primeiro LIRAa, que será divulgado no dia 30 de janeiro, a primeira ação de combate nos bairros que apresentarem o maior índice de risco inicia no dia 5 de fevereiro.

Mesmo positivo nos números, a falta de saneamento básico e as lixeiras viciadas ainda fazem parte da realidade de muitos macapaenses.

Morador reclama que lixeira à céu aberto em Macapá ajuda na proliferação do Aedes aegypti

Carlos Alberto Jr/G1

Morador há 25 anos do bairro Cidade Nova, o autônomo Lucivaldo Sena Morais, não esconde a frustração de ver a orla, um dos lugares mais frequentados da cidade, sempre repleta de sujeira, oriunda até mesmo dos próprios moradores.

“É só dar uma olhada aqui. Tem de tudo: caroço de açaí, resto de televisão e muito lixo doméstico. Esses materiais são ‘renovados’ quase todo dia. A gente pede para o poder público limpar, aí quando limpa, o povo volta a sujar. É revoltante”, reclamou.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Fonte: G1

Veja também


ler notícia
Que ano para os FII

ler notícia
Após ganhos de 300% com opções da Petrobras, analista aponta as próximas oportunidades na Bolsa


ler notícia
Das 3 atividades mais afetadas pela crise, só construção segue em queda

ler notícia
Profissional precisa saber se renovar e ir em busca de novos desafios

ler notícia
Vale e Petrobras derrubam Ibovespa com queda de commodities; dólar sobe a R$ 3,83

Onde estou?

Sua localização dentro do site.

  1. Home AtualizaSAT.tk
  2. Noticias Noticias
  3. Not&iacutecia Notícia